27/10/2014

Alma ardente


Em um dia desses, um dia comum, um dia ensolarado
Me vi tentando atravessar a parede do meu interior despedaçado
Tentando saber o que fazer para consolar o meu eu isolado
Confesso que não é a primeira vez tenho arriscado
Mas dessa eu saí fracassado

Fragmentos de amor que caíram sobre a mesa empoeirada, quando
Minha alma ardente eu toquei, em chamas simultâneas me tornei

Como quando o Sol emite seus raios á Terra
Flamejante minha alma era

Uma ferida que será pra sempre lembrada
De uma alma que não deveria ser tocada

Inexplicavelmente eu caí
Caí como um prédio mal planejado
Desmoronei sobre o que você chama de sentimentos
Destruindo tudo o que me restava de argumentos

Esses são os vestígios de uma ferida que sempre será lembrada
De uma alma que não deveria ter sido tocada

XX


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...